Como encher as suas aulas

Bevan James Eyles pergunta: Qual experiência você está criando em suas aulas para seus alunos?

Quando eu era mais jovem, um dos amigos do meu pai me perguntou: “Qual é a primeira coisa que você vê quando vê uma foto de grupo em que você está presente?” Embora eu nunca tivesse pensado nisso antes, a resposta era óbvia – olhei para mim mesmo.

Eu não sou único, a maioria de nós olha para nós mesmos em primeiro lugar, mesmo que seja sem intenção. Pense na grande quantidade de fotos do Facebook ou do Instagram em que você está, tenho certeza de que você quer se ver primeiro antes de olhar a foto como um todo.

O amigo do meu pai usou essa percepção para me ensinar uma lição mais profunda. Ele disse: “A maioria das pessoas passa a maior parte de suas vidas pensando em si mesmas e absorvendo suas próprias experiências, então não perca muito tempo se preocupando com o que os outros pensam de você.” 

Esta foi uma lição poderosa para eu aprender como uma pessoa jovem, mas há outra camada nesta lição que pode ajudá-lo a aumentar suas aulas de ginástica em grupo.

Contemple isso: Com que frequência você pensa em como é fazer sua aula como participante?

Para a maioria de nós, nosso ensino de fitness em grupo é absorvido por nossa própria experiência. Claro, pensamos em nossos alunos, mas é através de nossos próprios olhos. Com que frequência você realmente pensa em como é ser uma pessoa na sua aula?

Pense sobre estas questões:

  • Como é ser um participante antes de sua aula começar?
  • Como os participantes experimentam sua conexão, motivação, coaching?
  • Como as pessoas se sentem em relação a si mesmas em sua aula?
  • O que eles andam pensando sobre a sua aula?

A lista de perguntas poderia continuar.

Uma das maneiras mais poderosas de explorar essa maneira de pensar é identificando diferentes tipos de pessoas e depois refletir sobre sua experiência. Por exemplo, imagine uma pessoa nova que nunca tenha praticado uma aula de fitness em grupo antes; ela pode ser um pouco insegura em relação ao exercício e pode estar um pouco acima do peso. Qual é a experiência que eles têm durante a aula? E quanto à pessoa que é regular e frequenta há anos, que está em forma e confiante com seu nível de aptidão, como você a mantem motivada? Você pode até olhar para traços de personalidade, como tímido vs extrovertido.

Observar suas experiências através dessas diferentes perspectivas pode ser uma ferramenta transformadora no aprendizado onde você precisa evoluir como professor. Isso o ajuda a identificar o que você mudar e melhorar. O próximo nível acontece quando você se desafia a pensar sobre a melhor experiência que as pessoas podem ter com você. 

Vamos voltar ao novo aluno que é inseguro e possivelmente um pouco acima do peso. O que você acha que seria a melhor experiência para eles? Lembre-se, estamos pensando na perspectiva deles.

Eu imagino que eles gostariam de se sentir seguros, bem-vindos, cuidados, ter uma compreensão clara de como a aula funciona e como eles podem ter sucesso durante o treino. Eles também gostariam de se sentir orgulhosos de si mesmos durante a aula.

Você acha que essa pessoa gostaria de fazer novamente a sua aula se você tivesse criado essa experiência para eles? 

Depois de identificar qual poderia ser a melhor experiência para seus participantes, você pode determinar como criar isso. Se você está procurando as etapas e as ações necessárias para alcançar isso, esses tipos de perguntas podem ajudar:

  • O que posso fazer para que essa pessoa se sinta segura e cuidada?
  • Estou ensinando a turma de maneira clara e informativa?
  • Como vou criar sucesso no treino para eles?
  • O que posso fazer para que se sintam orgulhosos de si mesmos?

Ao explorar estas questões, você irá apresentar algumas ações realmente instigantes e práticas que poderá aplicar às suas aulas.

Você pode ver como esse processo permite que você se abra para o potencial e a possibilidade de criar experiências mais incríveis para seus alunos, mas isso só acontece se você passar o tempo fazendo o trabalho. Desafie-se a refletir sobre um tipo de pessoa diferente a cada semana e depois desenhe a experiência definitiva para eles, depois passe para o próximo tipo de participante.

Eu quase posso garantir que a sua própria experiência de suas aulas vai passar pelo telhado se você fizer este trabalho, porque se você aprender a refletir e criar a melhor experiência, suas aulas serão cada vez maiores – e sejamos honestos, aulas lotadas é a melhor experiência para nós professores.

BEVAN JAMES EYLES é de Christchurch, Nova Zelândia, onde ele ainda vive. Ele começou a ensinar em 1999, e correu em oito competições de Ironman, assim como em maratonas. Bevan também é escritor e contribui para o jornal de sua cidade natal, a Christchurch Press.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close