O óleo de coco não é bom para você

Por que o óleo de coco ficou tão famoso?

Aclamado e comercializado como uma alternativa de culinária super saudável, o óleo de coco tem sido muito estudado ultimamente.

A imagem do óleo de coco como um óleo “bom” foi logo incorporado em lojas de alimentos saudáveis ​​e supermercados, muitas vezes na sessão de orgânicos.

Uma pesquisa recente informou que 72% do público americano classificou o óleo de coco como um “alimento saudável”, em comparação com apenas 37% dos nutricionistas.

Por outro lado, a American Heart Association publicou um artigo recomendando que as pessoas evitassem este óleo, o máximo possível.

Sei que você deve estar se perguntando: Por que há essa desconexão? É apenas uma jogada de marketing sobre a ciência?

Acho que deve haver alguns comerciantes em algum lugar do mundo que estão rindo dessa situação“, “quem será que decidiu que a venda de óleo de coco seria uma boa sacada?“, diz Rod Jackson, professor de epidemiologia da Universidade de Auckland, que tem estudado as doenças cardíaca há décadas e é um claro adversário de gorduras saturadas, incluindo o óleo de coco.

É interessante que eles chamem de óleo de coco em vez de gordura de coco“, acrescenta. “É sólido, então não é um óleo, é uma gordura“.

O que é comercializado como óleo de coco (que é o termo que usaremos aqui, mesmo que seja descrito com mais precisão como uma gordura) é de cerca de 90% de gorduras saturadas.

Esta é uma porcentagem maior que a encontrada na manteiga (cerca de 64%) ou no sebo de carne bovina (cerca de 50%) e consideravelmente maior que os óleos vegetais, como óleo de canola e azeite (cerca de 7% e 14%, respectivamente).

E nós já sabemos que as gorduras saturadas são ruins para nós, certo?

Décadas de pesquisas envolvendo milhares de pessoas, mostram que gorduras saturadas, aumentam a lipoproteína de baixa densidade (LDL), também conhecida como o Colesterol Ruim.

Inúmeros estudos também mostraram que o aumento dos níveis de LDL, aumentam o risco de doenças cardiovasculares, tornando-se a principal causa global de morte, o que representa 17,3 milhões de mortes por ano.

Sabemos que todos nós precisamos de gordura em nossa dieta. Mas há as gorduras boas, gorduras parcialmente boas e gorduras que são tratadas com cautela.

Para saber se uma gordura é boa ou saturada, basta observar o quão sólida é. Pois essa será a forma que ela terá no interior de suas paredes arteriais, causando aterosclerose.

Dizem que o óleo de coco aumenta o colesterol bom ou o HDL (lipoproteína de alta densidade). É verdade?

O óleo de coco parece aumentar o HDL mais do que, digamos, a manteiga. Mas o que isso significa exatamente? Não muito, diz Jackson.

Há uma boa evidência de que as pessoas que naturalmente têm HDL mais altas apresentam menor risco de doença cardíaca, mas isso não estabelece uma conexão causal entre HDL e doença cardíaca.

A atividade física também aumenta o HDL, de modo que as taxas mais baixas de doenças cardíacas entre as pessoas que possuem níveis mais altos de HDL podem ser colocadas na condição cardíaca e não no HDL. “HDL é um importante indicador de baixo risco de doença cardíaca“, diz Jackson, “mas quando os pesquisadores aumentaram os níveis de HDL com drogas, não teve efeito sobre o risco de doença cardíaca“.

Por outro lado, ele explica: “O que sabemos é que se você comer gorduras saturadas como gordura de coco, em comparação com óleos monoinsaturados ou poliinsaturados, como o azeite ou óleo de canola, o LDL irá subir. E sabemos que altos níveis de LDL aumentam seu risco de doença cardíaca, enquanto a redução do LDL reduz o risco de doença cardíaca. Isso é claro“.

Mas, e as afirmações de que as comunidades indígenas do mundo que dependem do óleo de coco são aparentemente saudáveis?

Se você olhar ao redor do mundo, onde as pessoas comem muita gordura de coco – no Sri Lanka, no sul da Índia, nas Filipinas e no Pacífico – todas elas têm altas taxas de doenças cardíacas“, diz Jackson. “Podemos não ser capazes de dizer que suas altas taxas de doenças cardíacas são causadas pela gordura de coco sozinho, mas claramente não as protegem“.

Finalmente, existe uma diferença entre o leite de coco, o creme de coco e o óleo de coco?

O leite de coco é um pouco como o leite semi-desnatado – é apenas carne de coco ralada e água colocada através de uma peneira“, diz Jackson. “O creme de coco é um pouco como leite integral – mais carne de coco e menos água. A gordura de coco é como manteiga ou gheed (manteiga clarificada) – trata-se da gordura extraída da carne de coco“.

É evidente que todo tipo de de gordura, sendo utilizado com moderação, não irá te matar. No entanto, não devem ser considerados como um produto que faz bem à saúde.
Jackson finaliza dizendo que, “como a manteiga ou o sorvete, a gordura de coco é algo que você pode comer ocasionalmente, mas não todos os dias“.

Fonte: Les Mills International

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close