Os benefícios da atividade física para o nosso cérebro

Como está a vitalidade do seu cérebro?

Esqueceu onde você deixou as chaves do carro?

Agora há evidências crescentes de que o exercício físico pode ter um impacto imediato na memória, além de aprimorar a sua capacidade de aprender algo novo.

Então, você deve estar se perguntando: “Se estou aprendendo um novo idioma, devo começar a pedalar?

De acordo com um estudo alemão, possivelmente sim!

Afinal, ele mostrou que o ciclismo em paralelo a aprendizagem de um idioma estrangeiro ajudava as pessoas a se lembrarem das novas palavras mais facilmente.

Os pesquisadores recrutaram cerca de 80 mulheres alemãs que falavam apenas um idioma e as dividiram em três grupos.

Um grupo sentou-se por 30 minutos enquanto ouvia fones de ouvido palavras emparelhadas, um substantivo alemão comum e seu equivalente polaco.

Outro grupo ouviu os fones de ouvido depois de andar suavemente em bicicleta durante 30 minutos, e o terceiro grupo usava fones de ouvido enquanto pedalavam com intensidade por 30 minutos.

A conclusão dessa pesquisa mostrou que os integrantes do último grupo poderiam lembrar as novas palavras melhor do que os outros dois grupos.

Dessa forma, é possível afirmar que a intensidade poderia estimular e desviar o cérebro de possíveis desvios de atenção, parecendo claro que o exercício e a função cerebral estão ligados.

Um outro estudo irlandês , por exemplo, fez um grupo de jovens e sedentários olhar para uma formação de rostos e nomes de estranhos.

Depois de uma pausa, eles foram convidados a lembrar os nomes dos rostos enquanto passavam na tela do computador.

Alguns participantes pedalaram uma bicicleta estacionária por meia hora, até que estivessem exaustos enquanto a outra metade estava parada.

Quando ambos os grupos fizeram o teste novamente, aqueles que estavam no grupo de bikes eram melhores em lembrar nomes.

Outro caso, dessa vez com pesquisadores holandeses, dividiu 56 estudantes entre 10 e 13 anos em grupos; um fez seus estudos como de costume sem qualquer exercício, outro fez 20 minutos de atividade física após uma aula de 90 minutos, e o terceiro fez exercício antes e depois da aula.

O último grupo se saiu significativamente melhor em testes de capacidade de atenção.

Um grande estudo controlado nos EUA, analisou os efeitos das aulas diárias de esportes pós-aulas durante um ano letivo.

Até o final, as crianças que faziam o exercício diário não eram apenas aptas fisicamente, também eram melhores em ignorar distrações, realizavam multitarefas e guardavam melhor as novas informações.

Dessa forma, as pesquisas sugerem que o exercício aeróbio regular pode aumentar o tamanho do hipocampo, o núcleo dos sistemas de aprendizagem e a memória do cérebro.

Resultados semelhantes foram observados em adultos.

pesquisa da Universidade de Maryland envolveu adultos e idosos fisicamente inativos que foram colocados em um programa de exercícios de 12 semanas de caminhadas regulares em esteira.

Um grupo apresentou comprometimento cognitivo leve e o outro teve função cerebral saudável, mas no final das 12 semanas a memória de ambos os grupos melhoraram.

Usando imagens cerebrais, os pesquisadores também mostraram melhor eficiência neural entre os participantes (basicamente, menos recursos neurais foram ativados para realizar a mesma tarefa de memória de identificar e lembrar os nomes e rostos de celebridades e pessoas famosas).

O que está acontecendo em um nível biológico ainda não foi fixado, mas uma série de estudos mostraram que o exercício aeróbio regular pode aumentar o tamanho do hipocampo, o núcleo dos sistemas de aprendizagem e memória do cérebro.

Outras pesquisas sugerem que o exercício melhora a função cerebral promovendo o crescimento de uma proteína chamada “fator neurotrófico derivado do cérebro” (BDNF), que é conhecida por promover a saúde das células nervosas e parece ter um papel na melhora da memória.

Como muitas pesquisas iniciais, grande parte da evidência BDNF vem de estudos que envolvem ratos em vez de pessoas.

Cientistas brasileiros, por exemplo, encontraram ratos idosos que foram submetidos a um regime de episódios curtos de exercícios de intensidade leve (em uma roda) apresentaram níveis mais altos de BDNF no hipocampo.

Além disso, os ratos idosos realizaram quase tanto quanto ratos jovens em testes de memória de roedores.

Dessa forma, com as evidências acima, parece claro afirmar que o músculo entre os ouvidos responde ao exercício como os do resto do corpo.

Pratique atividade física! Cuide do seu corpo, da sua mente, da sua memória e, tenha muitos benefícios.

FONTE: Les Mills International

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close