Você precisa mudar seu hábito em relação ao açúcar

O açúcar se tornou preocupação a nível saúde pública

Mas as pessoas duvidam! Será que ele é realmente perigoso? É viciante?

A verdade é este ingrediente está em toda parte. O melhor palpite é que a maioria das pessoas consumam entre 20 e 25 colheres de chá de açúcar todos os dias.

Claro que nesse número está incluído o açúcar natural encontrado nas frutas e vegetais, no entanto, a maior parte do açúcares na sua dieta provém de alimentos e bebidas processados.

O açúcar é adicionado a tudo, desde cereais para o café da manhã até ketchup, molhos e lanches salgados.

Devemos destacar também as bebidas gasosas (efervescentes), onde apenas pequena garrafa normalmente conterá dez ou mais colheres de chá de açúcar, sem absolutamente nenhum valor nutricional.

Infelizmente, o estilo de vida da maioria das pessoas envolve pouca atividade física e uma abundância de alimentos industrializados, fazendo com que o doce seja um dos principais causadores da obesidade no mundo.

No entanto, este não é o único fator que contribui para o ganho de peso, mas é um contribuinte que pode ser evitado em grande parte.

Por que gostamos tanto de consumir doces?

Realmente é preciso de uma autodisciplina para lutar contra o desejo de consumir um doce.

Isso pode ser explicado por dois motivos:

O 1º envolve nossa biologia. Os seres humanos evoluíram para amar a doçura, por ser um sinal de que a fruta está madura e cheia de calorias.

Já no mundo moderno e desenvolvido, a necessidade de selecionar alimentos com alto teor de calorias para sobreviver não é mais necessário, afinal, consumimos tudo aquilo que já está pronto sem esforços. Pensando nisso, a indústria de alimentos ​​evoluiu para atender os apetites/desejos, o outro poderoso recurso exercido pelo doce.

Afinal, tudo que contém açúcar resulta no gosto e prazer momentâneos. Por isso, o hábito de consumir açúcar é difícil de controlar e alterar, pois a sensação prazerosa é o que você deseja.

A noção de que “retirar” o açúcar da sua dieta ocasionará mudanças de humor, dores de cabeça, dores nas articulações e até fobias, não é apoiada cientificamente.

Também não há evidências que comprovem que, no meio da tarde, os níveis de açúcar no sangue começam a cair, provocando a busca desesperada por doces.

Isso acontece devido, principalmente, uma alteração de humor, talvez devido ao tédio, à fadiga ou à sobrecarga de trabalho, desencadeando o desejo pelo açúcar e seus prazeres passageiros.

Desejar o açúcar, tem menos a ver com a biologia do que com o humor e as emoções. Desde a nossa infância, os doces constituem a base da recompensa pelo bom comportamento, enquanto o mau comportamento significa o contrário – sem doces!

Você mudar a rotina em relação aos doces?

Claro que é impossível viver completamente sem açúcar, e as dietas que promovem a remoção de todos os açúcares, processados ​​e naturais, não são sustentáveis ​​no mundo real.

Mas é possível fazer ajustes práticos e duradouros:

– Estabeleça metas realistas: Ninguém é perfeito, então comece devagar a cortar o açúcar excessivo de sua dieta diária.

– Escolha alimentos com baixo teor de açúcar: Para começar, uma tática simples é substituir um tipo de alimento ou bebida por uma variedade açucarada com pouco teor de açúcar ou não calorias. Mas isso é apenas um passo no meio caminho. Sempre que puder, é melhor escolher alimentos minimamente, não processados e preferencialmente frescos.

– Seja sábio com suas necessidades: É melhor comer refeições em vez de lanches. Mas se você precisa lanchar, escolha os lanches naturais como frutas ou nozes. Mesmo uma fruta doce contém menos açúcar do que um alimento processado, e também contém muito mais fibras, vitaminas e minerais.

– Se alimente com sabedoria: Seja consciente de quanto você come e consome bebidas. Além disso, tenha em mente que o álcool é um grande inimigo para a sua saúde, pois além de reduzir a auto-inibição, incluindo a capacidade de dizer não aos hambúrgueres, batatas fritas e pizza, faz com você ingira de uma só vez muito açúcar sem considerar os petiscos.

Fonte: Les Mills International

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close